Ecoturismo no Mato Grosso

Prepare-se para avistar animais, trilhas rumo à cachoeiras e flutuação em rios cristalinos de Mato Grosso.

CHAPADA DOS GUIMARÃES

Após dois dias no Pantanal, tomamos nosso caminho para o Parque Nacional da Chapada dos Guimarães.

Parque Nacional da Chapada dos Guimarães.

Ao longo do trajeto é possível perceber a mudança de bioma: estamos entrando no cerrado e as florestas de eucalipto que começam a se destacar na natureza e ficam a 70 km de Cuiabá, no Mato Grosso.

O parque nacional oferece diversas opções de passeios com acompanhamento de um guia certificado, que também é o responsável pelo agendamento dos passeios.

O primeiro programa para se conhecer é o Complexo da Salgadeira onde os turistas se refrescam com calor mato-grossense nas águas da cachoeira da salgadeira.

Complexo da Salgadeira

A entrada é gratuita sendo pago apenas estacionamento, o complexo tem as trilhas, lojas de souvenirs, quadra poliesportiva e playground para crianças. Seu nome se deve ao fato dos tropeiros da região sempre pararem ali para cortarem e salgarem a carne que transportavam, secando-a ao sol para depois retomarem viagem.

Cidade de Pedra

Outro atrativo é a Cidade de Pedra, nome dado devido às formações rochosas geradas pelo deslocamento das placas tectônicas e esculpidas pelas chuvas e pelos ventos. Aqui é possível visitar os paredões rochosos e fazer uma caminhada de 500 metros.

Outra opção de passeio é o Circuito das Cachoeiras formadas por sete quedas d’água. Tem uma característica diferente, apenas uma das cachoeiras não é liberada para banho. A caminhada leva em média 5 horas e demanda a presença de um guia.

Cachoeiras, aliás, é o que não falta na Chapada dos Guimarães: para se ter uma ideia, são aproximadamente 450! Uma das mais visitadas é o Véu de Noiva localizada logo na entrada do parque sem necessidade de guia. Com a queda de 86m, ela atrai não apenas turistas como também Araras que chegam lá para embelezar ainda mais a paisagem.

MUNICÍPIO DE NOBRES

O município de nobres é repleto de atividades de ecoturismo. A região fica a 176 km de distância da chapada dos Guimarães em uma viagem que dura quase três horas.

O destino conquistou fama graças a seus Rios com águas bem cristalinas perfeitos para observar peixes e outras espécies de animais. O primeiro conselho que eu dou para quem vai é esquecer internet, quase não há sinal de celular na região. O que representa uma ótima oportunidade para curtir o local de forma mais genuína, e se aproximando mais da natureza.

É importante saber que todos os passeios são realizados por meio de agência de viagem, sendo os responsáveis pela emissão dos vouchers que devem ser apresentados no início de cada atividade.

Primeira parada pode ser o parque Sesc Serra Azul, localizada no município de Rosário Oeste, cidade vizinha de Nobres. Aí também encontraremos a cachoeira Serra Azul, com águas azuladas e uma queda de 46 metros.

Para ver essa maravilha, o turista precisa de fôlego, já que é necessário subir uma escadaria com 470 degraus. A cachoeira mais flutuação pode ser feita por R$ 80,00 incluindo os equipamentos necessários e o tempo de permanência no local, que é de 50 minutos.

Após a visita à cachoeira, o turista tem a opção de descer os simpáticos 470 degraus ou voltar em uma tirolesa.

Quem escolhe a segunda opção tem a vista de encher os olhos da mata nativa ao redor em um trajeto de 400m de descida e 50 m de altura.

Rio Salobra

Ainda temos a opção de flutuação nas águas límpidas e transparentes do Rio Salobra, dentro do rio os turistas não podem colocar os pés no chão do rio, para preservar o ecossistema local, e é permitido o uso de protetor solar e repelente.

O passeio dura cerca de uma hora e meia e é feito com guia local e com equipamentos necessários.

Lagoa das Araras

Outra opção é andar de quadriciclo com destino à Lagoa das Araras, um dos lugares que mais te impressionará na viagem, seja pela paisagem linda ao pôr do sol, seja pela sensação de um espaço sagrado para as aves.

É neste lugar que as araras chegam para dormir no final do dia e não é à toa que elas escolheram este lugar para fazer seus ninhos nas árvores.

A volta também é feita em quadriciclo, é possível passar por um caminho bem mais radical com mata fechada e curvas ainda mais divertidas.

boiacross


A próxima parada pode ser o Duto de Quebó, local ideal para fazer boiacross, equipada com colete, capacete e calçado de borracha. Nesta atividade você senta em uma bóia e deixa o rio te levar. É uma atividade tranquila, embora haja correnteza e é bom estar preparado para um lindo contato com a natureza!


Daqui ainda é possível fazer o complexo turístico Akaiá, incluindo Trilha do Megafone. Conforme se caminha no meio da mata durante a trilha, tem megafones gigantes de madeira que servem para ampliar o som da natureza.

Basta entrar em um deles e fazer silêncio para ouvir tudo mais alto. O trajeto termina no Mirante do Lombinho, para mais uma vez, ver o pôr do sol e suspirar com natureza do Mato Grosso.

E ai? Gostou de saber um pouco mais sobre o ecoturismo no Mato Grosso? Conheça nossas experiências para a região clicando aqui.

Fonte base: Karina Cedeño, Viajar pelo Mundo, n°123, 2020

Deixe uma resposta

Note: O comentário reflete o ponto de vista do autor, e não necessariamente a visão da Aini Experiências. Solicitamos a abstenção de insultos, xingamentos e expressões vulgares. Reservamo-nos o direito de excluir qualquer comentário sem explicações e aviso prévio.

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios são assinados com *